APLICAÇÃO DO CARVÃO OBTIDO DO CAROÇO DO AÇAI NA ADSORÇÃO DO AZUL DE METILENO

  • Thiago Sabino Pessôa Universidade Federal de Pernambuco

Resumo

No Brasil, a produção de açaí apresenta uma grande relevância no cenário econômico, especialmente nas regiões Norte e Nordeste do país, uma vez que a comercialização da polpa gera empregos, movimenta a economia, e provê alimentação e renda para uma parte da população. Como principal resíduo da indústria de processamento do açaí, o caroço correspondente a aproximadamente 85% do fruto, como opção por uma destinação e aproveitamento adequado, os resíduos da produção do açaí foram empregados como matéria-prima de um gaseificador de leito fixo, tendo como subproduto o carvão vegetal e utilizado como adsorvente do corante Azul de Metileno. Estudo da cinética de adsorção mostrou que o sistema atinge o estado de equilíbrio decorridos 20 min, com capacidade de adsorção calculada 33,73 mg∙g-1. Além disso, o modelo cinético de pseudo-segunda ordem (PSO) melhor se ajustou aos dados experimentais e o estudo do equilíbrio de adsorção identificou que o modelo de Langmuir-Freundlich é a isoterma que representa o processo. Diante dos resultados expostos, pode-se evidenciar o grande potencial de aplicação do carvão de caroço de açaí como adsorvente de corantes têxteis.

Biografia do Autor

Thiago Sabino Pessôa, Universidade Federal de Pernambuco

 

Thiago Sabino Pessôa1 (thiagosabino22@gmail.com), Tiago José Marques Fraga1 (tiago.fraga2012@gmail.com), Ellen Alves dos Santos2 (ellenalvesdossantos@gmail.com), Maryne Patrícia da Silva1 (mpsilva@gmail.com), Lettícia Emely de Lima Ferreira3 (letticialima28@gmail.com), Bruna Figueiredo do Nascimento1 (bf-nascimento@hotmail.com), Jorge Vinicius Cavalcanti1 (jorgevcavalcanti@gmail.com), Maurício Alves da Motta Sobrinho1 (mottas@ufpe.br)

1 Departamento de Engenharia Química – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

2 Departamento de Engenharia Química – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

3 Centro de Biociências – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Publicado
2019-06-14