COMPOSTAGEM E ATERRO SANITÁRIO: UMA DISCUSSÃO SOBRE A IMPORTÂNCIA DE SUA CENTRALIZAÇÃO

  • Caroline Gomes Wigand Instituto Federal Fluminense

Resumo

Os resíduos sólidos urbanos (RSU) produzidos em território nacional, são compostos em sua maioria por resíduos orgânicos, dentre eles: resto de alimentos, resíduos de poda urbana e resíduos de abete animal. Esses resíduos mostram-se como materiais possíveis de um tratamento denominado por compostagem, contribuindo para produção de compostos orgânicos ricos em nutrientes. A compostagem representa a forma ambientalmente correta de destinação final dos resíduos sólidos orgânicos, conforme estabelecido pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (lei 12.305/2010). Desse modo, o estudo buscou realizar uma pesquisa bibliográfica com a fim de relacionar a compostagem de resíduos sólidos urbanos e sua importância para aterros sanitários, além de correlacionar os resultados obtidos a realidade do município de campos dos Goytacazes/RJ. A análise e pesquisa dos conceitos citados, consistiu na leitura de artigos científicos, trabalhos acadêmicos e sites empresarias. Os trabalhos foram selecionados com base em três critérios: a data de publicação posterior ao ano 2000; disponibilização em bancos de dados do Google Acadêmico, Dialnet, Scielo, Scopus e Medline e sites de empresariais e a busca no título, resumo ou palavra-chave das seguintes expressões: “compostagem”, “política nacional de resíduos sólidos”, disposição final de resíduos sólidos”, “aterro sanitário em campos dos Goytacazes”, “a importância da compostagem”, “compostagem de agroindustriais” e “compostagem com resíduos de poda”. Assim, baseado nas informações coletadas dos textos selecionados, foi possível observar que a compostagem representa a forma correta de tratamento para os RSU, prolonga a vida útil de aterros sanitários, além caracteriza-se por uma ação de cumprimento as exigências legais da lei 12.305/2010. Para Campos dos Goytacazes/RJ, a compostagem mostra-se como alternativa viável para tratamento dos RSU e também imprescindível para o reaproveitamento dos restos orgânicos de abate animal, necessitando de iniciativas governamentais para sua atuação e melhoria em sua eficiência.

Biografia do Autor

Caroline Gomes Wigand, Instituto Federal Fluminense

Caroline Gomes Wigand¹ (carolwigand2011@gmail.com), Isabelle Barcelos Cariman¹ (carimanisabelle@gmail.com), Cícero Ferreira Neto¹ (cfneto47@gmail.com), Gelbis Martins Agostinho¹ (gelbisnartins@gmail.com) e Silvana de Oliveira Barbosa¹ (silbarbosa08@gmail.com) Vitor Guimarães Correia¹ (vitor.correia@iff.edu.br)

1 Instituto Federal Fluminense (IFF)

Publicado
2019-06-14