ANÁLISE DA GESTÃO DA COLETA SELETIVA NO MUNICÍPIO DE OLINDA

  • Adriana Patrícia Prado de OLiveira Prefeitura Municipal de Olinda

Resumo

O consumo e a geração de resíduos demandam soluções e compromissos compartilhados, que devem enxergar os interesses de todos os envolvidos; engajar os atores sociais em projetos coletivos de negociação de interesse e vontade; reforçar o diálogo e a recuperação dos espaços públicos legítimos que podem promover políticas públicas (BELIZÁRIO et al 2012). Este estudo objetivou analisar a gestão e a operação do programa de coleta seletiva na cidade de Olinda-PE. Na abordagem metodológica foram utilizados 5 (cinco) indicadores de sustentabilidade: Produtividade, Eficiência Econômica – EE, Cobertura de Atendimento - COA, Participação Relativa do Custo anual com Coleta Seletiva (%) e Recuperação dos Materiais Recicláveis – RMR.  Verificou-se com os respectivos indicadores que a Produtividade 899 (kg/catador.mês); EE  659 (R$/catador.mês); Custo da coleta seletiva 0,4% (R$/ ano); COA 15% (T. de Res. atendidas/ T. de res. da área); RMR 0,49%(T. M.R. comercializados/T.R.S.U. coletados)% . Conclui-se que o programa não vem apresentando um desempenho satisfatório, visto que, ausência de política pública local efetiva destinada à inclusão dos catadores de materiais recicláveis, o atendimento para a população é restrito, realizado a coleta seletiva em alguns bairros da cidade, a qualidade dos materiais recicláveis coletados não é satisfatória, gerando uma quantidade  de rejeito que influenciou  na recuperação dos materiais recicláveis, praticamente, todo material reciclável é destinado para um aterro localizado a 45 Km da cidade de Olinda.

Biografia do Autor

Adriana Patrícia Prado de OLiveira, Prefeitura Municipal de Olinda

 Autores

Adriana Patrícia Prado de OLiveira1 (adriprado.oliveira@gmail.com),

Bertrand Sampaio de Alencar2(bertrand.sampaio@gmail.com).

1 Prefeitura Municipal de Olinda

2 Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade de Pernambuco

Publicado
2019-06-14