GESTÃO DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS)

  • Juliane Borba Minotto Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

Resíduos orgânicos são gerados diariamente em todas as atividades desenvolvidas nas Universidades, de modo que seu gerenciamento e sua destinação adequada são de grande relevância para as políticas ambientais institucionais. A Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) gerencia seus resíduos comuns segregando-os em recicláveis e não recicláveis, sendo que nessa segunda categoria estão os rejeitos e os resíduos orgânicos. Além disso, os resíduos orgânicos gerados nos Restaurantes Universitários são destinados em separado para compostagem, o que se mostrou um avanço nesse campo dentro da Universidade. Assim, este trabalho se propõe a sistematizar e quantificar as diferentes formas de gerenciamento de resíduos orgânicos na UFRGS, além de caracterizar a composição dos resíduos não recicláveis, a fim de buscar alternativas de destinação para sua parcela orgânica. A universidade encaminha anualmente cerca de 650 m³ de resíduos orgânicos para compostagem e cerca de 12.900 m³ de resíduos não recicláveis para aterro sanitário. Na análise realizada, foi encontrada a proporção de 13% de matéria orgânica nos resíduos não recicláveis, valor que corresponde a cerca de 1.600 m³ anualmente, os quais poderiam ser também destinados a compostagem. Portanto, faz-se necessário melhorar a segregação desses resíduos, principalmente por meio de campanhas de educação ambiental, além de incentivar práticas de compostagem in loco nas unidades acadêmicas, a fim de minimizar a quantidade de matéria orgânica encaminhada para aterro sanitário.

Biografia do Autor

Juliane Borba Minotto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Juliane Borba Minotto1 (juliane.minotto@ufrgs.br), João Pedro Ingrassia1 (joaoingrassia@gmail.com) e Eveline Araujo Rodrigues1 (eveline.araujo@ufrgs.br)

1Superintendência de Infraestrutura, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Publicado
2019-06-14