CARACTERIZAÇÃO DO RSU DA CIDADE DE OURO PRETO VISANDO SUA POSSÍVEL UTILIZAÇÃO EM COPROCESSAMENTO

  • Julia Teixeira Pimenta Universidade Federal de Ouro Preto

Resumo

Ouro Preto é conhecida como cidade histórica, mas convive com problemas modernos de urbanização. Um desses problemas é o gerenciamento do resíduo sólido urbano (RSU). De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, o gerenciamento dos resíduos sólidos deve priorizar a não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos. Esgotadas as possibilidades prioritárias, uma das alternativas de disposição ambientalmente adequada para os rejeitos é a recuperação energética, como por exemplo, no coprocessamento em fábricas de cimento. Assim, o objetivo do trabalho foi caracterizar os RSUs da cidade de Ouro Preto e analisar a viabilidade físico‑química de sua utilização em indústrias cimenteiras, apresentando assim uma alternativa para o gerenciamento de resíduos da cidade. O resultado obtido foi que o RSU produzido em Ouro Preto no ano de 2018 produziria 8864,65 kJ/kg de energia por hora, mostrando que valor obtido é maior que o necessário nos processos da cimenteira. A concentração de cloro encontrada foi de 0,008%, valor considerado baixo para a formação de gases que danificam os equipamentos e são prejudiciais à saúde humana e do meio ambiente de acordo com a literatura. Com isso, é viável o uso do RSU do município, mas ainda se faz necessário pensar em novas alternativas para compor o gerenciamento dos RSUs na região e esse trabalho sugere que outros estudos sejam feitos propor políticas eficientes de gestão dos resíduos municipais.

Biografia do Autor

Julia Teixeira Pimenta, Universidade Federal de Ouro Preto

Julia Teixeira Pimenta1 (julia.pimenta@aluno.ufop.edu.br), Lívia Cristina Pinto Dias1 (livia.dias@ufop.edu.br)

1 Universidade Federal de Ouro Preto