IDENTIFICAÇÃO DAS AGRESSÕES ANTRÓPICAS NO ENTORNO DO CANAL OLHO D’ÁGUA, JABOATÃO DOS GUARARAPES/PE

  • Amaury Gouveia Pessoa Neto Secretaria Executiva de Meio Ambiente e Gestão Urbana da Prefeitura Municipal do Jaboatão dos Guararapes - SEMAG/PMJG

Resumo

Corpos hídricos, como os canais fluviais, são ecossistemas que desempenham funções ecológicas, econômicas e sociais e estão diretamente relacionados à qualificação de uma cidade. Entretanto, com a desordenada e intensa expansão urbana esse tipo de ecossistema vem sendo alvo de frequentes agressões antrópicas. Diante dessa problemática, torna-se indispensável a obtenção de dados atualizados como subsídio para análise da dinâmica das áreas que são destinadas a conservação ambiental. Este estudo buscou identificar, através da tecnologia do geoprocessamento, as intervenções provocadas por processo de antropização ocorridas no entorno do canal Olho D’Água, no bairro de Barra de Jangada, município do Jaboatão dos Guararapes/PE. Para isso, foram utilizadas imagens aéreas, oriundas de serviço de aerofotogrametria, datadas de 2016, que foram submetidas a técnicas de fotointerpretação visual. A partir dessa análise, foi possível obter mapas temáticos com classes de uso e cobertura do solo, onde foram observados expressivos índices de área antropizada, totalizando 21% da região estudada. Os tipos de agressões antrópicas identificadas foram: áreas edificadas (9,89%), solos expostos (9,65%), viveiro irregular (1,61%) e áreas pavimentadas (0,19%). Através dos resultados obtidos, destaca-se a utilização do geoprocessamento como uma alternativa viável e ágil para promover um planejamento ambiental adequado.