USO DE BIODIGESTOR EM COMUNIDADES RURAIS DA GUINÉ-BISSAU PARA GERAÇÃO DE ENERGIA, BIOFERTILIZANTE E SANEAMENTO

  • Nino Júlio Nhanca Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Resumo

Os biodigestores têm sido avaliados com inúmeras vantagens que podem contribuir para pequenas comunidades, principalmente em zonas rurais. Estas técnicas permitem que estercos ou resíduos orgânicos sejam tratados e gerem biogás, e fertilizante. O biogás gerado pode ser utilizado para geração de energia, ou, é utilizado para cozinhar. E biofertilizante é utilizado na agricultura. Entretanto, a maior parte dos estudos realizados com biodigestores é mais utilizado para criação de aves e suínos, com isso, justifica-se o desenvolvimento deste artigo a fim de demonstrar a possibilidade de uso dessa ferramenta nas zonas rurais de Guiné-Bissau para colmatar o déficit de energia e gás nas zonas rurais do país.

Este mecanismo, além das vantagens econômicas, possui outras vantagens relacionadas ao desenvolvimento da tecnologia, como o envio de dejetos de animais para o biodigestor, o que evita que eles sejam colocados nos lugares impróprios que poderiam causar efeitos negativos ao meio ambiente sem tratamento, como contaminar corpos d´água. O principal beneficiário do equipamento é o agricultor pelo aproveitamento dos dejetos para a produção do biogás e o biofertilizante e o meio ambiente em geral. Este trabalho objetivou demonstrar a sustentabilidade que um agropecuarista, localizados nas zonas rurais da Guiné-Bissau, pode obter com a técnica de biodigestores. A metodologia utillizou uma pesquisa qualitativa, de caráter descritivo e exploratório, utilizando, como fontes de pesquisa, a bibliográfica e a documental. Os resultados comprovaram as condições ambientais econômicos e sociais para exploração de biodigestores nas zonas rurais.

Biografia do Autor

Nino Júlio Nhanca, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS

Nino Júlio Nhanca (ninhanca@hotmail.com)1, Carlos Alberto Mendes Moraes (cmoraes@unisinos.br)2

  1. Doutorando IPH - Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS
  2. Programas de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica e Engenharia Civil - Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS