DIAGNÓSTICO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E PROPOSTA PARA RECUPERAÇÃO DAS ÁREAS DEGRADADAS DO MUNICÍPIO DE CENTRALINA – MG

  • Vânia Santos Figueiredo UFU
  • Ângela Maria Soares Universidade Federal de Uberlândia

Resumo

O Brasil tem avançado pouco quanto à gestão de resíduos sólidos, sendo que os lixões a céu aberto ainda desafiam os gestores de estados e municípios. De acordo com a Lei 12.305/2010 os lixões deviam ter sido erradicados em agosto de 2014, não obstante, muitos gestores não cumpriram os prazos para o encerramento e as datas foram revistas. O objetivo deste artigo foi apresentar à disposição dos resíduos sólidos do município de Centralina, MG, propondo medidas para recuperação das áreas degradadas (lixões). Inicialmente, foi realizado levantamento de referências e da legislação pertinente aos resíduos sólidos, em seguida foram realizadas idas a campo para avaliação dos lixões, registros fotográficos e coleta de dados na prefeitura e demais órgãos. Os estudos de composição gravimétrica foram realizados em três dias, na segunda-feira, quarta-feira e sexta-feira, totalizando três análises num período de sete dias A gravimetria no lixão em atividade, foi necessária para quantificar o volume e caracterizar os tipos de RSU produzidos. Os estudos realizados e dispostos neste artigo, materializa-se como um suporte técnico ao gestor municipal, para que os passivos ambientais relacionados aos RSU, sejam sanados, iniciando uma nova fase na busca pela saúde ambiental e melhoria da qualidade de vida da população.

Palavras-chave: Gravimetria; resíduos sólidos, legislação.

Publicado
2018-06-27