ESTUDO DA GESTÃO DA LOGÍSTICA REVERSA DO RESÍDUO DO COCO VERDE PÓS-CONSUMO NO LITORAL DE SANTA CATARINA - SC

  • Ana Cristina Curia UNISINOS
  • Lisiane Kleinkauf da Rocha PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL – PPGEC - UNISINOS
  • Carlos Alberto Mendes Moraes PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA – PPGEM - UNISINOS
  • Regina Célia Espinosa Modolo PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL – PPGEC - UNISINOS
  • Adriane Brill Thum CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM INFORMAÇÕES ESPACIAIS GEORREFERENCIADAS - UNSINOS

Resumo

O mercado de água de coco verde tem crescido mundialmente e uma das consequências deste crescimento, proporcionalmente, é o incremento da geração dos seus resíduos, principalmente nas regiões praianas, causando impactos ambientais negativos. Dentro deste contexto, o objetivo deste trabalho é avaliar a gestão da logística reversa da casca de coco verde pós-consumo no litoral de Santa Catarina com base na percepção dos distribuidores, varejistas, consumidores, catadores de resíduos e poder público. Foi realizada uma revisão bibliográfica sobre o tema, levantamento de dados primários com o uso de pesquisa de campo com aplicação de entrevista e questionário de um total de 280 pontos de consumo de água de coco verde in natura de quatro regiões praianas de SC estudadas. Os entrevistados (EN1) demonstraram pouco conhecimento sobre a aplicabilidade (58%) e benefícios (42%) do reaproveitamento dos resíduos de coco verde pós-consumo. Com este mesmo comportamento, 55% dos entrevistados (EN1) considera baixa a possibilidade da implantação da viabilidade da logística reversa destes resíduos. Os catadores e prefeituras demostram boa aceitação para a logística reversa, mas com a necessidade de articulação e desenvolvimento para promover a sua viabilidade. Desta forma, a logística reversa se mostra uma alternativa que ainda deve ser melhor desenvolvida.

Palavras-chave: logística reversa, coco verde, resíduo sólido

Publicado
2018-06-27