PANORAMA DA DISPOSIÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS EM SANTA CATARINA

  • Valdir Eduardo Olivo Agência Reguladora Intermunicipal de Saneamento
  • Micheli Dal Bello UCEFF Faculdades

Resumo

A disposição final dos resíduos sólidos urbanos em aterros sanitários, a implementação da coleta seletiva e a logística reversa são componentes obrigatórios da Política Nacional de Resíduos Sólidos desde 2010. Porém, desde então observou-se reduzido avanço a nível federal quanto à gestão ambientalmente correta dos resíduos sólidos urbanos. Diante disso, este trabalho teve como objetivo diagnosticar a atual situação da disposição final dos resíduos sólidos urbanos pelos municípios catarinenses. Através de pesquisa e levantamento de dados secundários, foi possível um panorama incluindo o número de aterros, localização geográfica, destinação por município e logística do transporte. A geração per capita de resíduos sólidos urbanos é de 0,70 kg/hab./dia. O estado possui a menor contribuição per capita da região Sul, sendo que o a média brasileira é de 1,07 kg/hab./dia. Os 295 municípios catarinenses encaminham seus resíduos para os 36 aterros sanitários que estão distribuídos geograficamente em todas as regiões. A média percorrida para transporte entre o município e a destinação final é de 49,3km. Para os dados coletados dos 24 aterros foi possível identificar que se operassem em sua capacidade máxima, estes poderiam atender a população total de Santa Catarina, ainda o maior aterro do estado recebe cerca de 2.500 toneladas/dia. Em análise as informações levantadas, foi possível estabelecer um panorama positivo ao estado de Santa Catarina, tendo em vista que é o único da região Sul que não possui lixões e aterros controlados como forma de disposição final adotada pelos municípios.

Palavras-chave: Panorama; Resíduos Sólidos Urbanos; Aterro Sanitário.

Publicado
2018-06-27