ANÁLISE DA DISPOSIÇÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NO MUNICÍPIO DE CANÁPOLIS-MG

  • Roberta Christina Amancio Universidade Federal de Uberlândia
  • Hérica Leonel de Paula Ramos Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLANDIA

Resumo

Grande importância deve ser direcionada quando o assunto se refere a um tema tão discutido e relevante quando se trata da questão dos resíduos sólidos, pois grandes são as consequências causadas em função dos impactos ambientais. O município de Canápolis-MG integra ao CIDES – Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Sustentável do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba que possui o Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – PGIRS. Esse artigo tem como objetivo demonstrar o gerenciamento dos resíduos sólidos urbanos (RSU) no município de Canápolis-MG. A metodologia baseou-se em pesquisas bibliográficas relacionadas ao tema e levantamentos de campo para averiguar a situação da disposição final de resíduos sólidos. Constatou-se que no município não implantou devidamente as propostas do PGIRS e que a área de descarte dos resíduos sólidos se caracteriza como “lixão” a céu aberto, sem nenhum controle ambiental. A implantação de um projeto de Educação Ambiental, que contemple a mobilização social é de suma importância para a sensibilização da população, bem como estabelecimento da coleta seletiva seria a base para a gestão adequada de resíduos sólidos em Canápolis. Executar o PRAD (Plano de Recuperação de Áreas Degradadas) e o Projeto do Parque Sanitário Municipal, que já foram propostos no PGIRS/CIDES (2015), os quais visam a recuperação das áreas degradadas e melhoria da qualidade ambiental. Essas ações reduzirá o volume de resíduos a serem destinados ao aterro controlado, diminuindo assim os riscos, contaminação do solo e da água e os impactos ambientais causados na área do aterro e também em terrenos baldios.

Palavras-chave: Propostas, recuperação, resíduos.

Publicado
2018-06-27