PROPOSTA DE PLANO DE RECUPERAÇÃO DE APP DEGRADADA DO IGARAPÉ PAU-CHEIROSO

  • Letícia Coelho Vaz Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Isabela Rodrigues Santos Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Camille Vasconcelos Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Fernanda Vale de Sousa Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Luna Leite Sidrim Universidade Federal Rural da Amazônia

Resumo

Por se situarem em entornos de curso d’água natural, as imediações do Igarapé Pau-Cheiroso, situado em Igarapé-Açu/PA, enquadram-se como Área de Preservação Permanente (APP); entretanto, é perceptível a ocupação desordenada ao longo da APP. Sendo assim, objetiva-se avaliar a degradação de parte da APP do Igarapé Pau-Cheiroso, além de apresentar uma proposta de Plano de Recuperação de Área Degradada (PRAD). Através de análise observacional e ferramentas de geoprocessamento, foi avaliada uma área de 1 km², que inclui o balneário Pau-Cheiroso. A partir das observações e revisão bibliográfica, propõe-se um modelo de PRAD. Como resultado, 1,145ha que deveriam ser salvaguardados como APP foram retirados em sua totalidade, estando a área tomada por gramíneas e ocorrência de resíduos sólidos. Propõe-se PRAD baseado em plantio de espécies nativas conjugado com a condução da regeneração natural, através de linhas de preenchimento e diversidade e realizando coveamento, preparo do solo e adubação, plantio, manutenção e monitoramento da recuperação. Assim, seriam necessárias aproximadamente 890 e 1335 mudas, nos 15m externos e internos das margens do rio, respectivamente, e o monitoramento deve avaliar a trajetória ecológica da restauração. Por fim, nota-se que as principais problemáticas no trecho avaliado são reflexo do uso e ocupação desordenados do solo, sendo o PRAD importante para restabelecimento do equilíbrio ecológico.

Palavras-chave: Mata ciliar; Reflorestamento; Áreas degradadas.

Publicado
2018-06-27