Energia limpa | Conheça a Biotérmica

Os resíduos sólidos urbanos contém significativa parcela de matéria orgânica biodegradável, e após dispostos nos aterros sanitários passam por um processo de digestão anaeróbia. Este processo ocorre pela ação de microorganismos que transformam a matéria orgânica em um gás conhecido biogás. E que é composto basicamente pelos seguintes gases: metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), nitrogênio (N2), oxigênio (O2) e gás sulfídrico (H2S), e possui grande potencial energético.


Entendendo esta capacidade, em 2015 a CRVR - Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos, junto ao grupo Solví, criou a Biotérmica Energia, que é a primeira usina termelétrica movida a biogás de aterro sanitário do Rio Grande do Sul, e está localizada na cidade de Minas do Leão, RS.

Atualmente a usina gera 8,55 MWh e tem potencial para atingir 15 MWh de energia limpa a partir do resíduo doméstico depositado no aterro sanitário. No total produz 63 mil MWh ao ano, o que representa atender uma cidade de 150 mil habitantes com energia elétrica sustentável.

De acordo com o gerente operacional da Biotérmica, Tiago Nascimento, a usina deve ser ampliada para mais 37.000 MWh/ano. “Passará para o potencial de abastecimento de uma cidade com uma população com 200 mil habitantes em 2021. Investimento será de 12 milhões”, contou.

Biotermica
Novas usinas termelétricas

O gerente contou também que Biotérmica e CRVR planejam novas usinas termelétricas no Rio Grande do Sul, o investimento previsto é de R$ 48 milhões em energia limpa. O planejamento é que as demais unidades, localizadas nos municípios de Santa Maria, Giruá, São Leopoldo e Victor Graeff, que junto à unidade de Minas do Leão, recebem 72% dos resíduos sólidos urbanos do estado, também passem a gerar energia a médio prazo.

Segundo Tiago, a geração de energia limpa pela usina traz diversos benefícios para sociedade onde está inserida. “Geramos energia limpa com este resíduo desde 2015, e a energia injetada na região estabiliza o sistema elétrico local e resulta em menos quedas e consequentemente menos prejuízo para o comércio e casas da região carbonífera”, destaca o engenheiro, pontuando também a geração de impostos e empregos no município.

Além disto, a geração de energia limpa através do biogás proporciona uma redução da emissão dos gases de efeito estufa via eliminação do metano, contribuindo para com a preservação do meio ambiente.

A Biotérmica é registrada no âmbito de mudanças climáticas da ONU para receber o certificado de emissões reduzidas, e possui contrato com o Banco Mundial.

Para mais informações da CRVR e da Biotérmica acesse www.crvr.com.br e www.biotermicaenergia.com.br.


bloco logos FIRS INGL v03