USO DA FERRAMENTA DE ACV PARA ESCOLHA DE TECNOLOGIAS PARA O TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

  • Adriana de Souza Oliveira Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Resumo

O gerenciamento dos resíduos é uma tarefa que demanda ações diferenciadas e estratégicas, em função da quantidade e diversidade dos resíduos existentes e dos tipos de tecnologias que podem ser utilizadas para o tratamento destes. Para avaliar sistemas sustentáveis de manejo de resíduos sólidos, são utilizados diferentes montagens de cenários com diferentes tipos de coleta, tratamento e disposição final. Para definir um sistema de gerenciamento, é necessário conhecer a situação atual do resíduo e avaliar as suas possíveis rotas de tratamento. Nesse contexto, a Avaliação do Ciclo de Vida (ACV) vem se apresentando como uma técnica bastante adequada na gestão ambiental para auxiliar na tomada de decisões quanto ao gerenciamento dos resíduos sólidos. Desta forma, este trabalho tem por objetivo apresentar uma revisão bibliográfica sobre a Avaliação do Ciclo de Vida como ferramenta para escolha de tecnologias no tratamento de resíduos sólidos. A ACV ajudou escolher quais tecnologias são menos agressivas ao meio ambiente quanto à gestão dos resíduos sólidos. Durante o estudo, os resultados mostraram que o uso de técnicas estruturadas como a avaliação do ciclo de vida auxiliaram na escolha por alternativas que atendam a Política Nacional dos Resíduos Sólidos (PNRS). Estudos analisados de gerenciamento de resíduos sólidos utilizando ACV mostraram que a reciclagem e a incineração tiveram efeitos mais benéficos ao meio ambiente. Com esta análise da produção técnico-científica sobre o cruzamento dos temas em questão, espera-se vislumbrar como a ACV tem apoiado a gestão de resíduos sólidos pode se tornar mais sustentável.

Biografia do Autor

Adriana de Souza Oliveira, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Adriana de Souza Oliveira1 (adrianaoliveira@ibict.br), Juliana Gerhardt1 (julianagerhardt@ibict.br), Luane de Souza Araújo1 (luanearaujo@ibict.br), Thiago Oliveira Rodrigues1 (thiagorodrigues@ibict.br)

1 Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia