INFLUÊNCIA DO PRETRATAMENTO POR MICROONDAS NA PRODUÇÃO DE METANO ADVINDOS DE RESÍDUOS ALIMENTARES SOB DIGESTÃO ANAERÓBIA MESOFÍLICA

  • Mariana Vieira Turnell Suruagy University of Leeds, Leeds LS2 9JT, West Yorkshire, United Kingdom.

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo discutir a eficácia do pré-tratamento térmico (por micro-ondas) de resíduos alimentares na produção final de metano através da digestão anaeróbica mesofílica 37°C (tipo batch). Temperaturas finais de 85, 115, 145 e 175°C foram utilizadas, com potência variando entre alta (7.8ramp), média (3.9 ramp) e baixa (1.9 ramp), e 5 minutos para a exposição das amostras à temperatura final desejada. Os resultados indicam que o pré-tratamento térmico dos resíduos alimentares do tipo irradiação micro-ondas foi eficaz na solubilização de material orgânico em todas as condições aqui testadas. Ademais, o pré-tratamento também se mostrou eficiente quanto ao aumento da intensidade da hidrólise para a maioria das condições aqui testadas, com a exceção de 175°C o qual independente da potência, continuamente exibiu um pobre desempenho da digestão com o subsequente acúmulo de ácidos orgânicos voláteis e baixa produtividade e rendimento de metano, possivelmente relacionado à formação de compostos inibidores de bactérias metanogênicas, tais como fenóis e melanoidinas. Analises estatísticas One-Way ANOVA revelaram uma diferença significativa (p<0.05) entre as condições operacionais extremas: (85°C 7.8 °C/min e 175°C 1.9°C/min), sugerindo que em termos econômicos é mais viável a utilização de temperatura mais baixa combinada a um tempo de tratamento mais curto, economizando, portanto, energia necessária à hidrólise e concomitantemente, promovendo um aumento  no rendimento do metano (42.37%).

Biografia do Autor

Mariana Vieira Turnell Suruagy, University of Leeds, Leeds LS2 9JT, West Yorkshire, United Kingdom.

 Autores

Mariana Vieira Turnell Suruagy1 (cnmvts@leeds.ac.uk),

Andrew Ross 1 (a.b.ross@leeds.ac.uk),

Miller Alonso Camargo-Valero2 (m.a.camargo-valero@leeds.ac.uk)

 

1BioResource Systems Research Group, School of Civil Engineering, University of Leeds, Leeds LS2 9JT, West Yorkshire, United Kingdom.

1School of Chemical and Process Engineering, University of Leeds, Leeds LS2 9JT, West Yorkshire, United Kingdom

2Departamento de Ingeniería Química, Universidad Nacional de Colombia, Campus La Nubia, Manizales, Colombia

Publicado
2019-06-14