POTENCIAL ENERGÉTICO DA CASCA DE ARROZ PARA GERAÇÃO DE ENERGIA SUSTENTÁVEL

  • Cristine Machado Schwanke Universidade Federal do Pampa – Campus Bagé
  • Juliana Young Universidade Federal do Pampa – Campus Caçapava do Sul
  • Amanda Martinello Neres de Souza Universidade Federal do Pampa – Campus Bagé

Resumo

O principal subproduto do beneficiamento do arroz é a casca, esta quando depositada no meio ambiente gera graves problemas como contaminação do solo e libera gases de efeito estufa. Uma das alternativas para o descarte ambientalmente correto para a casca de arroz se dá pela utilização desta na geração de vapor como combustível. Sendo esta, uma prática adotada pela maioria das beneficiadoras de arroz. O Estado do Rio Grande do Sul é o maior produtor de arroz do país e na safra 2016/2017 segundo CONAB com dados até 08/06/2017 a evolução da colheita foi de 8,742 milhões de toneladas de arroz. E, sabendo-se que as cascas representam 20% desse valor, a produção anual desse rejeito no Estado é da ordem de 1.748.400 toneladas, o que demonstra o grande potencial que o estado possui para aproveitamento desta casca como energético. Assim, este trabalho tem como objetivo caracterizar o combustível, casca de arroz, fazendo as devidas análises da influência deste sobre o sistema. A metodologia se baseou na coleta de dados de uma empresa sobre o sistema de parboilização e com amostras de casca de arroz utilizadas no sistema de geração de energia fez-se análise imediata, análise granulométrica, medição da massa específica e densidade aparente, análise granulométrica, poder calorífico superior estimado e análise termogravimétrica (TG). Os resultados que mais se afastaram dos valores da literatura foram os teores de voláteis (73%) e carbono fixo (8%). Os resultados mostram a influência da biomassa utilizada como combustível, demonstrando seu potencial energético.

Palavras-chave: Casca de arroz; Caracterização do combustível; Potencial energético.

Publicado
2018-06-27