EDUCAÇÃO AMBIENTAL E RESÍDUOS SÓLIDOS: PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE ALUNOS DO ENSINO BÁSICO PÚBLICO EM BELÉM/PA

  • Isabela Rodrigues Santos Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Letícia Coelho Vaz Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Fernanda Vale de Sousa Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Camille Vasconcelos Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Luna Leite Sidrim Universidade Federal Rural da Amazônia

Resumo

Diante do cenário atual, se faz necessária a busca por soluções capazes de reduzir os impactos causados ao meio ambiente. Nesse sentido, a EA é de fundamental importância, uma vez que, proporciona o desenvolvimento de uma sociedade mais consciente ambientalmente. O objetivo do estudo foi expor a importância da EA dentro da Escola Estadual João Renato Franco em Belém/PA, por meio de dinâmicas, com os alunos do 5º ano. Foram aplicados questionários para analisar o conhecimento dos alunos acerca das temáticas trabalhadas, a partir dos quais verificou-se que 63,4% dos alunos acreditam que o conceito de resíduo abrange materiais reutilizáveis e não reutilizáveis, 75,6% têm conhecimento sobre coleta seletiva e 97,6% conhecem a reciclagem. Em relação aos tipos de resíduos, 26,5% consideram plástico como um tipo de resíduo, 20,5% consideram vidro ou papel, 17,5% orgânico e 11,1% metal. A principal prática que os alunos realizam é “não jogo lixo na rua” com 37,1% de aceitação, 97% aprenderam sobre coleta seletiva e reciclagem, 95% desejam fazer coleta seletiva, 30,5% acreditam que poluição das ruas e dos rios são impactos causados pela disposição inadequada dos resíduos, e 29,1% concorda que os resíduos devem ser depositados nos locais adequados. Diante disso, nota-se que os alunos desenvolveram maior consciência ambiental após as explicações e dinâmicas realizadas, demonstrando boa capacidade em distinguir ações que ajudam e prejudicam o meio ambiente.

Palavras-chave: Conscientização ambiental; dinâmicas educativas; coleta seletiva.

Biografia do Autor

Isabela Rodrigues Santos, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduanda em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
Letícia Coelho Vaz Silva, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduanda em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
Fernanda Vale de Sousa, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduanda em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
Camille Vasconcelos Silva, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduanda em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
Luna Leite Sidrim, Universidade Federal Rural da Amazônia
Graduanda em Engenharia Ambiental e Energias Renováveis pela Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
Publicado
2018-06-27